Conecte-se:


*Blog Raul Machado: http://raulmachado.blogspot.com/


sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Coletivo Arterizar no Youtube

Depois de acaloradas discussões, sobre divulgar nosso trabalho através de sinais de fumaça e mensagens na areia ou no youtube, acabamos por decidir pela última opção (com ressalvas).

Pagando mico, pois ele está em extinção. Salvem as baleias, mas não esqueçam de salvar a arte.

Assistam:

http://www.youtube.com/watch?v=aFt1s0FnK3Q

e

http://www.youtube.com/watch?v=3UX_WtiMG8w

sábado, 24 de outubro de 2009

Em breve

-Fotos da exposição "Palavras e Imagens II", de Fernando Bijos e Raul Machado, durante a X Semana de Ciências Sociais/UFSC.

-Informações sobre o Jornal Arterizar número 02 e o seu Lançamento. Em processo de diagramação ainda.

-Informações sobre novas exposições e eventos do Coletivo Arterizar ainda para 2009.

E otras cositas más...como no...

Palhaços, Uni-vos!



Visitem: http://www.picadeiroquente.blogspot.com/

-Espaço interativo com acesso irrestrito para todos os palhaços do mundo que queiram mandar seu recado, trocar conhecimentos e afetos.


-O oitavo "Anjos dos Picadeiros - Encontro Internacional de Palhaços", será realizado aqui em Floripa, de 23 a 30 de Novembro. Fiquem ligados! Mais informações em breve, ou então no blog acima. Xuxu beleza...

Beijos Coloridos,
Artério Arteiro - o palhaço xodó do Coletivo Arterizar.

Itajaí em Cartaz

Mostra reúne o melhor do teatro itajaiense
3º Itajaí em Cartaz terá sua abertura neste sábado, dia 24, às 11 horas, com espetáculo na Rua Hercílio Luz, em frente à Casa da Cultura

Nos próximos dias, o público poderá apreciar o melhor da cena teatral itajaiense, conhecida pela qualidade de suas produções. A terceira edição da mostra Itajaí em Cartaz acontece de 24 a 31 de outubro, no Teatro Municipal de Itajaí.
A mostra terá a participação de onze grupos teatrais da cidade e outros dois convidados, de Criciúma e Joinville. Serão, no total, 31 apresentações em oito dias. “O 3º Itajaí em Cartaz é uma iniciativa importante para o movimento teatral itajaiense porque condensa a produção dos grupos locais em uma semana”, analisa Caroline Carvalho, coordenadora do evento. “Além de abrir espaço para que o público conheça o nosso trabalho, é também uma oportunidade para que as pessoas possam desfrutar de bons espetáculos”, acrescenta.

Preços populares
Promovida pela recém-criada Rede Itajaiense de Teatro, órgão que reúne ampla maioria das companhias teatrais da cidade, a mostra terá ingressos a preços acessíveis. “Como o evento foi aprovado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura, os preços são populares”, explica Charles Augusto de Oliveira, também coordenador do 3º Itajaí em Cartaz. A exemplo das duas edições anteriores, Oliveira espera um bom público também para este ano. “A expectativa é de que possamos, além de manter o público que já frequenta o Teatro Municipal, promover a inclusão de novos espectadores, indo para a rua e também trazendo as pessoas para o teatro”, afirma.
Os ingressos para todas as apresentações custarão R$ 10 a entrada e R$ 5 a meia-entrada.

Abertura
O 3º Itajaí em Cartaz terá seu início neste sábado, 24 de outubro, às 11 horas. A abertura da mostra ficará sob a responsabilidade da Cia. Cirquinho do Revirado, de Criciúma. Os convidados apresentarão o espetáculo “Amor Por Anexins”. A apresentação acontece no calçadão da Rua Hercílio Luz, em frente à Casa da Cultura Dide Brandão.
Ainda no sábado, a programação prossegue à noite, no Teatro Municipal de Itajaí. Às 19 horas, no hall do Teatro, a Cia. Mútua apresenta “Missiva e Miragem”, espetáculo de teatro lambe-lambe. Em seguida, será a vez do grupo L.E.G.U.M.E, com uma Intervenção Clown. Em seguida entram em cena, no palco do Municipal, dois espetáculos da AECA: “A Pena e a Lei”, às 20 horas, e “Plínio Marcos”, às 21 horas.

Histórico da Mostra
Em maio de 2007, a primeira edição do Itajaí em Cartaz mostrou um panorama da produção teatral da cidade. Durante uma semana de intensa programação, foram apresentados espetáculos de todos os grupos da Câmara Setorial de Teatro.
No ano seguinte, também no mês de maio, o 2º Itajaí em Cartaz trouxe, além das companhias locais, o intercâmbio com a Cia. Trip de Teatro, de Rio do Sul. Na ocasião, os convidados apresentaram o espetáculo “De Malas Prontas”.
Para este ano, o objetivo da Rede Itajaiense de Teatro, ao promover o 3º Itajaí em Cartaz, é reunir a produção dos grupos locais e ampliar o intercâmbio, com grupos convidados na abertura e também no encerramento.
Mais informações: No blog do "Itajaí em Cartaz", disponível na nossa lista de links.

Programação: (clique na imagem para ver maior)

sábado, 17 de outubro de 2009

Poemas

*De Raul Machado


Bueiros

Rasgo
O rastro
E me arrasto
Entre ratos
E restos

--------------------------------------
Esquizofrenia de Palhaços na Madrugada com Vento

Artério Arteiro
Sincero
Sorrateiro

Banana com chocolate
E patins azuis

Palhaços nus
De cor abacate
Acendem a luz

O que?
Agora vendem
Até o tal
Chá mate?

Sorri
Ligeiro
Nosso
Artério
Arteiro

=)

Piada
Sem hora marcada!!!

Grita aquela chata

Molecada

------------------------------------
Outro

Abre-se a janela
E grita-se: clichê!

Que abram, então, e arregacem
As vísceras que escondem

Hmmmmmmmmmmm
Que tal? Qual seu gosto?
E teu parado poste posto?

Procurem a cor
Na gaveta escondida

E quando gritarem
Vagabundo!
Volte ao mundo
E deixe o resto lá

Nem que seja sozinho.

Ao caminhar
Dance

Ao olhar
Paquere

Ao acordar
Sonhe

Ao lembrar
Esqueça

E para sempre
Parta
Assim, meio que de repente

-------------------------------------------
Sem Título I

Não há
Nada
Mais
Non-sense
Que a sensação
De acordar
Dormindo
E não estar lá

Exposição Coletivo Arterizar - Semana de Ciências Sociais

*Exposição "Palavras e Imagens II", de Fernando Bijos e Raul Machado.

Quando: De 19 a 23 de Outubro
Onde: Hall do CFH/UFSC

-Exposição de ilustrações de Fernando Bijos com a interpretação poética de Raul Machado. Diferentemente da "Palavras e Imagens I", onde a poesia clamou pela ilustração. A exposição integra a programação da X Semana Acadêmica de Ciências Sociais/UFSC, este ano com o tema Arte e Manifestações Sociais. Veja abaixo a programação completa do evento:

X SEMANA ACADÊMICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS: ARTE E MANIFESTAÇÕES SOCIAIS

De 19 a 23 de Outubro de 2009
CFH – UFSC
Florianópolis – SC

Segunda – 19.10
10h00 Inscrições e Informações
Local: Hall do CFH

19h00 Inscrições e Informações
Abertura da Semana
Local: Hall do CFH

Terça – 20.10
10h00 Palestra: "Arte e educação"
Dr. Maristela Fantin
Local: Auditório do CFH

14h00 Oficina de customização
Isbella Fonseca
Local: Sala 331

Oficina de Fotografia: “Arte Pública e Ciências Sociais”
Rosa Blanca
Local: Auditório do CFH*

19h00 Arte e Sociedade, Conexões? Teatro e Música
"A teatralidade como meio de expressão da vida coletiva: negociando os usos e a ocupação do solo no Sul da Ilha",
Profa. Tereza Mara Franzoni
"Os músicos transeuntes: de palavras e coisas em torno de uns Batutas",
Prof. Luís Fernando Hering Coelho
Prof. Rafael José de Menezes Bastos
Local: Auditório do CFH

Quarta – 21.10
10h00 Mesa Redonda: "O que é arte"
Juliana Johnson, Isbella Fonseca e
Thiago Autrann
Local: Auditório do CFH

14h00 Oficina de dança
Caio e Lara
Local: Sala 331

19h00 Palestra: “Literatura a sangue frio: a prosa e o jornalismo de Truman Capote”
Dr. Jacques Mick
Local: Auditório do CFH

Quinta – 22.10
10h00 Teatro
Local: Hall do CFH

14h00 “Manifestação cultural, comunicação e extensão/educação popular: estudantes construindo cientistas sociais críticos"
Grupo "Oficina de Ciências Sociais"
Local: Auditório do CFH

19h00 Palestra: "A morte e o renascimento do autor da obra de arte",
Profa. Claudia Pellegrini Drucker
Local: Auditório do CFH

Sexta – 23.10
10h00 Palestra: “Literatura e música: o NEPOM e a demanda transdisciplinar”
Profa. Tereza Virgínia de Almeida
Local: Auditório do CFH

14h00 Apresentação de Trabalhos:
- "Concepções artísticas e categorias musicais no universo do rock". Tatyana de Alencar Jacques
- "Cosméticos da Tradição à Alta Modernidade: Mais um paradigma em crise". Denise M. Nunes
- "Etnografando Murgas, Candombes e tangos: práticas musicais e representações do negro". Maria Eugenia Dominguez Calvo
Local: Auditório do CFH

19h00 Sarau Cultural
Local: hall do CFH

22h00 Festa de Encerramento
Local: Oásis

Atividades permanentes:
- Mostra de poesia - Vagner Boni
- Exposição de artes visuais - Coletivo Arterizar
Local: Hall do CFH

14h00 Cine Paredão
Local: Mini-auditório do CFH

* Duração de 3 dias (terça, quarta e quinta) e trazer câmera fotográfica.

Divulgações


*Cascaes 100+1

Quando: 16 de outubro a 14 de novembro de 2009
Onde: Terminal de Integração do Centro (exposição “Cascaes em trânsito”); Palácio Cruz e Sousa, Lagoa da Conceição, Ribeirão da Ilha, Santo Antônio de Lisboa e Pântano do Sul (show musical “Festa pra Cascaes!)
Quanto: Programação gratuita


Homenagem ao artista e pesquisador que completaria este ano 101 anos terá 30 dias de artes visuais, música, teatro, literatura e cinema.

Pela primeira vez na história de Florianópolis, de 16 de outubro a 14 de novembro, a área de maior concentração de pessoas da cidade – o Terminal de Integração do Centro (TICEN) – será ambientada para receber uma mostra da diversidade da obra de Franklin Cascaes: exposição de 32 reproduções de esculturas, 26 desenhos, 10 manuscritos, exibição de quatro filmes sobre ele e sua obra, oficina e aulas de desenho, cinco shows musicais em diferentes pontos da cidade e 16 intervenções teatrais se somarão à distribuição de panfletos com benzeduras e histórias extraídas dos escritos de Cascaes. Tudo isto faz parte da programação do projeto Cascaes 100+1.

Com toda a programação gratuita e um público estimado em mais de um milhão de pessoas, este projeto da Associação dos Amigos do Museu Universitário é produzido pela Exato Segundo Produções Artísticas, com o patrocínio do Governo do Estado de Santa Catarina e da Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte por meio do Funcultural. As ações contam ainda com a parceria da Universidade Federal de Santa Catarina via Secretaria de Arte (SecArte) e do Museu Universitário Professor Oswaldo Rodrigues Cabral; da Fundação Catarinense de Cultura; da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes e da Secretaria de Educação de Florianópolis. O projeto tem o apoio da COTISA, da Rádio CBN Diário, da Cinemateca Catarinense e do Cia. Teatro em Trâmite.

A abertura do evento será no dia 16 de outubro, data em que Cascaes completaria 101 anos, com o primeiro show do projeto Festa pra Cascaes!, no jardim do Palácio Cruz e Sousa, das 12h às 14h, show da banda Francolino, formada por Denise de Castro, Marcelo Muniz, Baixinho, Jorge Lacerda, Silvia Beraldo, Carlos Augusto Vieira e Chico Thives, com convidados especialíssimos como Valdir Agostinho, seu Frankolino, dona Bilica e seu Maneca. Das 17h às 19h sobem ao palco Gentil do Orocongo e Trio do Engenho seguidos pela banda Francolino e a convidada Claudia Barbosa. No repertório, músicas populares e composições que abordam Franklin Cascaes e sua obra.

Confira toda a programação em www.exatosegundo.com.br/cascaes



----------/----------------/--------------------/--------------------/-----------------/-------

*Exposição Quilombolas - Tradições e Cultura da Resistência

Local:
Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina
Centro Integrado de Cultura (CIC)
Avenida Irineu Bornhausen, 5.600 - Agronômica
Florianópolis – Santa Catarina – Brasil - CEP 88025-202
Tel.: (48) 3953-2325 / 3953-2327 / 3953-2329

Visitação:
De 07 a 30 de outubro de 2009
Diariamente das 9h às 21h

Resultado de uma pesquisa de campo feita em 11 comunidades negras remanescentes dos quilombos no Brasil, abre na terça-feira (6), no Museu da Imagem e do Som, em Florianópolis, a exposição Quilombolas - Tradições e Cultura da Resistência.O registro fotográfico, inédito, foi realizado pelo fotógrafo documentarista André Cypriano em negativo convencional preto-e-branco tratado digitalmente.
A mostra busca divulgar a realidade das comunidades quilombolas brasileiras e incentivar o diálogo entre as comunidades afrodescendentes de cada região do país por onde passa, dando-lhes visibilidade e enfatizando as questões sociais, culturais, reconhecimento e participação social.
A exposição, que em Florianópolis tem o patrocínio da Petrobras com recursos da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura e apoio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), é composta por 27 fotografias em preto-e-branco, no formato 50 cm x 75 cm; sete fotografias panorâmicas, no formato 40 cm x 110 cm, seis fotografias em preto-e-branco 30 x 40 cm, dois mapas, cinco painéis de textos e legendas.
A mostra, que começou a circular em 2006, foi concebida inicialmente para poucas cidades. No entanto, devido ao interesse de público e órgãos institucionais de cultura, já passou por 15 cidades brasileiras e seis cidades da América Latina - Assunção, Buenos Aires, Montevidéu, La Paz, Lima e Bogotá. Nesta nova fase, estão programadas 15 exposições em todo o País, entre elas no Metrô Sé, em São Paulo, em Campo Grande e em Porto Alegre.
A curadoria da exposição é de Denise Carvalho, produtora cultural e diretora da Aori Produções Culturais, empresa realizadora do projeto. O material original faz parte do livro Quilombolas - Tradições e Cultura da Resistência, com fotografias de André Cypriano e pesquisa de Rafael Sanzio Araújo dos Anjos.

Fonte: Comunicação/FCC
-----------/-----------------/---------------------/-----------------------/---------------/----
*Ciclo Guitarrísimo - Instituto Cervantes Florianópolis
Oque: Quarteto Brasileiro de Violões: Suíte Ibéria
Quando: Dia 21 de Outubro, as 20h
Onde: Teatro Álvaro de Carvalho (TAC) - Floripa-Centro
Gratuito!

domingo, 11 de outubro de 2009

Nova Enquete no Blog

"Séria, seríssima, como sempre. Sinta-se a vontade para votar, a enquete está no final da página. Aqui o sufrágio é universal e o voto é secreto. Nenhum caso de fraude foi detectado até hoje. Aqui ninguém te faz de palhaço!"

Frase de Artério Arteiro, nosso esquizofrênico palhaço, pintando o rosto e visitando nosso blog minutos antes de entrar no picadeiro de seu circo.


Sétima Bienal do Mercosul

***Em Porto Alegre (No Armazém do Cais do Porto, na Fundação Iberê Camargo, no Espaço Santander Cultural e no MARGS).
***De 16 de outubro a 29 de novembro.
***Curadoria-geral da argentina Victoria Noorthoorn e do chileno Camilo Yáñez.
***Exposições coletivas, intervenções urbanas, Projeto Rádio Visual (criação de uma rádio da Bienal, que transmitirá entrevistas, divulgação da programação, obras artísticas sonoras, seminários e debates), Projeto Pedagógico (residência de artistas em comunidades do interior do estado e produção de um material pedagógico a ser distribuido em escolas públicas), além de seminários, debates, oficinas, etc.

***Mais informações no site da Fundação Bienal do Mercosul: http://www.fundacaobienal.art.br/




Dica!

-Editora Cosac Naify

www.cosacnaify.com.br/

*No site vocês poderão visitar a Loja Virtual, comprar livros, saber das novidades, lançamentos e acervo da editora, informações sobre livros, eventos culturais, etc.

A Editora:

Fundada em 1996 por Charles Cosac e Michael Naify, a Cosac Naify surgiu como uma editora voltada aos livros de arte: cinema, teatro, design, arquitetura, fotografia, dança, moda, monografias sobre artistas brasileiros e ensaios sobre história e teoria da arte.
A partir de 2001, foram criadas novas linhas editoriais, que oferecem ao leitor um repertório de obras clássicas da literatura universal, de autores contemporâneos e da literatura brasileira, além de ensaios de referência em filosofia, antropologia e crítica literária.
Essa ampliação do catálogo da editora contemplou também a produção infanto-juvenil. Em 2003, a Cosac Naify ganhou o Prêmio Jabuti de Livro do Ano, com o título Bichos que existem e bichos que não existem, de Arthur Nestrovski. Em 2006, foi a vez de Gabriel o Pensador levar o Jabuti por Um garoto chamado Rorbeto, ilustrado por Daniel Bueno. No ano seguinte, dez títulos da Cosac Naify conquistaram estatuetas do Jabuti 2007, coroando o décimo aniversário da editora. Entre eles, Lampião & Lancelote, de Fernando Vilela, eleito o "Melhor livro infantil", o "Melhor ilustração de livro infantil ou juvenil".
Todas essas vertentes encontram suporte na beleza e qualidade gráfica das edições, que buscam a singularidade de cada projeto. Em dez anos de existência, a Cosac Naify reafirma o seu compromisso: realizar uma intervenção cultural que preencha lacunas do mercado editorial brasileiro.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Aviso Jornal Arterizar número 02

-E aí pessoal, o Jornal Arterizar número 02 está em processo de diagramação durante esta semana. Até semana que vem ele deve estar pronto.

-Estamos organizando também a festa de lançamento dele, com exposições e apresentações artísticas.

-Em breve mais informações!

E "Vamô que vamô!"

Artista Catarina

-Luiz Henrique Schwanke
-Biografia

Joinvilense nasceu no dia 16 de junho de 1951. Desde criança demonstrava aptidão tanto para as artes (teatro e plásticas), como para a publicidade. Hoje, Schwanke é considerado um dos mais importantes artistas de sua cidade e um dos mais reconhecidos em Santa Catarina. Em pouco mais de 30 anos de produção não é possível quantificar o seu acervo. Atuou também como cenógrafo e ator.
Ainda na adolescência, recebeu prêmios com textos escritos para festivais de teatro amador que, na época, eram promovidos pelo governo do estado de Santa Catarina. Nas artes plásticas, seu primeiro reconhecimento foi conquistado com um desenho realizado em 1962, quando cursava o primário no Grupo Escola Rui Barbosa. Esse mesmo desenho participou do 11º Salão Nacional de Arte Infantil, promovido pela “Folha de São Paulo”, recebeu medalha de ouro em Santa Catarina e menção honrosa em São Paulo.
No início, realizava pinturas de cunho primitivista e fazia uso do pontilhismo para retratar a paisagem catarinense. Sua primeira mostra individual, com pinturas, aconteceu em 1969 na “Exposição de Flores e Artes de Joinville”.
Ainda em 1969, realizou um curso técnico de reportagem e jornalismo promovido pela Prefeitura de Joinville. No ano seguinte mudou-se para Curitiba, onde freqüentou durante três anos o curso de direito. No ano de 1974 formou-se em comunicação social pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), onde entrou em contato com a história da arte, sendo esta, desde então, referência para sua produção. Sua atuação nessa cidade, onde trabalhou durante três anos como publicitário (1977-1980), e permaneceu por 15 anos, foi tão intensa que muitas vezes é citado como artista paranaense.
No período em que freqüentou a faculdade exerceu, em quatro gestões, o cargo de assessor cultural do Diretório Acadêmico Rocha Pombo do Paraná (Darpp), quando organizou quatro salões de artes plásticas realizados na Faculdade de Filosofia. Tais exposições contaram com a atuação de Adalice Araújo, João Ozório e Carlos Zimermann na comissão julgadora e com obras de artistas hoje reconhecidos, como Fernando Velloso.
Apesar de desde o final dos anos 1960 já possuir uma produção em desenho e pintura, o que lhe rendeu exposições e prêmios, somente em Curitiba Schwanke realmente despertou para a arte. Em detrimento do desenhista e do pintor com domínio metódico, nasceu o artista que não só se utilizou da técnica, mas foi muito além. Sua poética encontra-se calcada na busca pelo conhecimento, seja pela realização de cursos, seja por meio do vasto material bibliográfico do seu acervo, das constantes pesquisas às bibliotecas públicas de Joinville e Curitiba, ou mesmo em viagens a diversos museus do mundo.
Artista extremamente reflexivo, o que pode ser constatado não somente pela erudição que envolve sua obra, mas também por intermédio de seus escritos. Esses, por sua vez, revelam um fascínio pela luz, principalmente o tratamento dado no período barroco, mais especificamente nas obras de Michelangelo Merisi da Caravaggio (1571-1610), e a influência exercida pelo contato com pop art, mais diretamente a produção de Andy Wahrol (1928-1987). Contudo, influências de outros movimentos da história da arte aparecem no decorrer de sua produção, como o neo-expressismo, o concretismo, o construtivismo e o minimalismo.
Realizou mais de 130 exposições, entre individuais e coletivas, e participou dos mais importantes salões nacionais, nos quais recebeu mais de 30 premiações, tendo sido o artista brasileiro mais premiado nos salões de 1985. Em 1989, foi selecionado por uma comissão composta por Paulo Sergio Duarte, Sheila Lerner, Evelyn Berg Iochpe e Frederico de Moraes a expor no Parque Lage, na Bienal do Rio de Janeiro. Em 1991, foi o único artista catarinense a participar da 21ª Bienal Internacional de São Paulo, estando entre os 51 artistas brasileiros selecionados dos 2.059 concorrentes de 58 países. Schwanke morreu em 27 de maio de 1992.
Apesar de pouco mais de 30 anos de produção, sua obra é tão numerosa, rica e diversa que até hoje compõe mostras de importância nacional e internacional. Com curadoria de Agnaldo Farias, em 1994, cinco obras de Schwanke integraram o segmento “A atualidade (1980 aos nossos dias)”, da Bienal Brasil Século 20, com curadoria-geral de Nelson Aguilar, que almejou contar a história da arte brasileira no século 20. Sua obra “Cubo de Luz”(montada, uma única vez, na 21ª Bienal Internacional de São Paulo) integra o livro comemorativo “Bienal 50 Anos”, da Fundação Bienal Internacional de São Paulo.Muito citado pela crítica, recebeu comentários e elogios de profissionais como Adalice Araújo, Agnaldo Farias, Harry Laus, Frederico Morais, Tadeu Chiarelli, Maria José Justino, Ricardo Resende, Walmir Ayala, João Henrique do Amaral, Janga, entre outros. Entre julho e setembro de 2005, uma seriação de perfis, compôs a exposição “Dor, Forma e Beleza – A representação criadora da experiência traumática”, realizada na Estação Pinacoteca, em São Paulo. A curadoria, de Olívio Tavares e Leopoldo Nosek, incluiu, além de Schwanke, artistas de renome nacional e internacional, como Antonio Dias, Ivan Serpa, Iberê Camargo, Leonilson, Karin Lambrecht, Waldemar Cordeiro e Cildo Meirelles.
Artista à frente do seu tempo, mesmo após sua morte seus trabalhos continuam a ser expostos ao lado de importantes nomes da arte contemporânea. Sua produção, apesar de ser tema de monografias, dissertações de mestrado e tese de doutorado ainda não foi, e provavelmente nunca será, completamente desvendada.

Fonte: Instituto Schwanke - htpp://www.schwanke.org.br (Vale a pena dar uma olhada).
-Obras:




sábado, 3 de outubro de 2009

Divulgação de Exposição

*Clique na imagem para ver maior.

-projeto 365, com as artistas Cassia Aresta, Helenita Peruzzo e Rosa Grizzo.

-Onde: Museu Histórico de Santa Catarina-Palácio Cruz e Souza, praça XV de Novembro, 227 Centro-Florianópolis

-Visitação: 09/10/09 a 28/10/09 - terça a sexta das 10h as 18h; sábado, domingo e feriados das 10h as 16h.

-Abertura: 08/10/09 das 19h as 22h

-Conversa com as artistas: 08/10/09, 18h. - No auditório do Museu Histórico de Santa Catarina, com a participação de Anita Prado Koneski, professora do CEART/UDESC.