Conecte-se:


*Blog Raul Machado: http://raulmachado.blogspot.com/


terça-feira, 29 de março de 2011

Rádio Tarrafa, Oficinas do CIC e Divulgações

---------------/------------------------------------ [ Oficina de Artes do CIC está pronta ]

O espaço das oficinas do CIC volta à ativa, revitalizado, nesta quarta-feira (30/03), às 15h. com apresentações culturais no local.


-----------------/--------------------------------


[ Blog Partido da Cultura ]


O PCult (Partido da Cultura) é em uma mobilização nacional, de abrangência ampla e irrestrita a todo o movimento cultural, que procura agrupar entidades, instâncias e foros de discussão e deliberação em torno de um debate que visa identificar candidatos, a concorrer às Eleições 2010, realmente comprometidos com as pautas estratégicas da cultura em nosso país. Não se trata da criação de um partido político, mas de, simbolicamente, utilizar-se da nomenclatura para promover ações estratégicas específicas para aprofundar o debate e o comprometimento de candidatos com a temática cultural e com as demandas estratégicas da cultura no campo da gestão pública, tais como as matérias legais de interesse cultural em tramitação no Congresso Nacional e nas Assembléias Legislativas Estaduais, dentre outros assuntos. É uma idéia que vem sendo gestada há algum tempo em alguns setores do movimento cultural e que passa a ganhar contornos concretos, com mais consistência, nas Eleições 2010. É uma mobilização suprapartidária, que tem o intuito de fortalecer a presença do setor cultural nos parlamentos e nos governos.


- http://partidodacultura.blogspot.com/


---------------------------/--------------------------------


[ Artigo ]


*"Cabeças antigas na questão do direito autoral", por Clayton Melo. Sobre a nova gestão do Ministério da Cultura, comandado atualmente por Ana de Hollanda.


Aqui: http://www.istoedinheiro.com.br/artigos/52782_CABECAS+ANTIGAS+NA+QUESTAO+DO+DIREITO+AUTORAL

segunda-feira, 28 de março de 2011

Zine #02

O segundo número do nosso Zine Arterizar já está sendo distribuído pelos caminhos de Desterro, Ilha de Santa Catarina. Busque o seu! Abraços, Artério Arteiro, avoado. **twitter.com/arterioarteiro coletivoarterizar@yahoo.com.br

sábado, 26 de março de 2011

Grito

Somos a geração desastre.

Janta no restaurante do fim do mundo
com panorâmica pro cataclisma.

Ar pedante, voz melosa
reclamando do tempero do arroz,
- Garçom! Esse copo não está limpo...

Sorrimos na cara da catástrofe
mas não é coragem: é apatia

Desaprendemos a gritar

*Por Ro Manne

quinta-feira, 24 de março de 2011

Desenhos, Links e Avisos

[ Desenhos, de Natália Pelosi ]

-------------------------/------------------------------

[ Novos Links ]

Ali na barra à direita do blog, novos links foram inseridos:

-ERRO Grupo: http://www.errogrupo.com.br/v4/pt/

-Centro de Inovação Social dos Araçás: http://inovacaosocial.cc/

-Coletivo Literário "O Bule": http://www.o-bule.com/

-------------------------/-------------------------------

[Aviso Arterizar ]

*Amanhã temos reunião do Coletivo Arterizar, 12h:30min na lanchonete do CED/UFSC, para montagem e impressão do Zine #02 e discussão dos outros projetos do coletivo (intervenção teatral, Semana de Ciências Sociais, Arte-Postal, Oficinas, etc.). Tanto o coletivo quanto a reunião é aberta para todos, se você se interessou, venha, participe.

Beijos de vosso artesão de risos e choros,
Artério Arteiro.



segunda-feira, 21 de março de 2011

Divulgações & Avisos Arterizar

[ Como montar uma rádio livre?, por Rádio Tarrafa 104.7 FM Livre ]

* http://radiotarrafa.libertar.org/

----------------/---------------------------------------

[ Lançamento do livro "Cineclube, cinema e educação" ]

Três temas amplos que sempre estiveram juntos na formação de cineastas, na construção do imaginário, da identidade e da cultura brasileira, agora estão reunidos em livro. Cineclube, Cinema e Educação, organizado por Giovanni Alves e Felipe Macedo e publicado pela Editora Práxis. Durante o lançamento serão exibidos os documentários "Alfaiates de Marília", de Giovanni Alves e Rodrigo Gobbi, e "Diálogos: o que é cineclube?", do coletivo Pão com Ovo (RS). Giovanni, que também é um dos autores do livro estará presente para conversar com o público os filmes e sobre a publicação, indicada principalmente para cineclubistas, profissionais do audiovisual, e interessados em cultura e educação. Haverá um debate sobre o tema do livro com mediação de Giovanni.
Com 23 artigos, o livro discute a democratização da produção e do acesso ao cinema como instrumentos de memória, cidadania e patrimônio cultural. A publicação surgiu a partir dos debates entre cineclubistas na internet e narra experiências e reflexões que formam uma ferramenta para trabalhar a idéia e a prática do audiovisual na educação formal, informal, e sobretudo criadora, transformadora.
O lançamento é uma promoção da Cinemateca Catarinese e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional de Santa Catarina com o apoio do Cineclube Independente, Cineclube Laguna, Cineclube Ieda Beck, Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros (CNC) e Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Audiovisual (Sintracine).

*Quando? Quinta, 24/03 às 20h.

*Onde? Cinemateca Catarinense/Instituto Arco Íris, Travessa Radclif, 56 - Centro de Floripa

*Quanto? Gratuito

*Preço do livro: 35 reais.

--------------------------------/------------------------

[ Sessão Especial no cineclube Pitangueira ]

O Cine Pitangueira preparou uma sessão especial para a tarde e noite desta terça (22), véspera do aniversário de 285 de Florianópolis. A partir das 15h tem cinema para as crianças e à noite, às 19h, tem dois filmes de Sergio Bianchi, o curta "Divina Providência", e o longa "Cronicamente Inviável", sobre um escritor que percorre diversas regiões do país e vivencia a crueldade e a hipocrisia das relações sociais, econômicas e sexuais no Brasil contemporâneo. A sessão infantil conta com mais 4 filmes: "Queda Livre", "Meus amigos chineses", "Rua das tulipas" e "Tratado de liligrafia".

O Cineclube Pitangueira é uma realização da Cinemateca Catarinense e do Fundo Municipal de Cinema (Funcine) com o apoio da Fundação Franklin Cascaes e da Prefeitura Municipal de Florianópolis.

*Quando? Terça-feira, 22/03 às 15h sessão infantil e às 19h sessão adulto

*Onde? Casa das Máquinas do Casarão da Lagoa, Praça Bento Silvério - Lagoa da Conceição, Floripa

*Quanto? Gratuito

------------------------/-------------------------

[ Avisos Arterizar ]

-Última leva do Zine Arterizar #01 nas ruas!

-Zine Arterizar #02 em produção. Semana que vem sai do forno e começa a distribuição!

-Raul Machado produzindo seu segundo livro. Para além da poesia. Novidades no segundo semestre!

-Projeto Teatral do coletivo é retomado!

Abraços!

sexta-feira, 18 de março de 2011

Mostra Cultural Comunitária & Escritos Soturnos


[ I Mostra Cultural Comunitária, na UFSC ]

1ª Mostra Cultural Comunitária reúne comunidades do entorno da UFSC

Uma das principais características da vida em comunidade é partilhar os mesmos costumes e tradições. No próximo domingo, dia 20 de março, a Praça da Cidadania em frente à Reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina receberá a 1ª Mostra de Cultura Comunitária, a partir das 14h.
Os bairros localizados nos arredores da UFSC têm suas vidas culturais e tradições específicas, que fazem de uma comunidade mais amistosa e ainda preservam manifestações que, novas ou antigas, são um retrato de tal lugar.
O Diretório Central dos Estudantes em parceria com o Projeto Patrimônio Caeira, aprovado no edital de incentivo à cultura Elizabete Anderle, pela Fundação Catarinense de Cultura, realizam este primeiro encontro que terá feira de artesanato, barraquinhas com comes e bebes, apresentação do grupo de rap Arma-Zen e um festival de pipa com prêmios para a pandorga mais bonita e a de melhor performance.
O evento é aberto ao público e caso chova será cancelado.

O quê: 1ª Mostra de Cultura Comunitária
Quando: Próximo domingo, dia 20 de março, a partir das 14h.
Onde: Praça da Cidadania, em frente à Reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina.
Quanto: Gratuito.
Contato: Rafael Vilela, (48)9631-6569

---------------------/---------------------------------

[ Escritos Soturnos, por Ro Manne]
- Do blog "Insight Soturno": http://insight-soturno.blogspot.com/


Escola de guerra

Sentamo-nos frente a frente e falamos por poucos minutos.
Negociações.

Uma eternidade sem respirar.
Diafragma em riste e pulmão em choque.
Minhas mãos geladas.

Falamos de nós tão diretamente quanto pudemos, mas sem verdadeira proximidade.
Cada corpo um país: sem sexo, sem invasão, sem ocupação do alheio, estamos sempre infinitamente sós.

Nesses tempos sombrios, copiamos a política,
o amor tem que ser incerto, violento e confuso.

Nos tocamos tão pouco.
Mas nos olhamos, belicosa.mente.


Sem fim

Da janela do ônibus, quando podia se sentar e encostar a cabeça no vidro naquelas tardes de verão e chuva, olhava o vidro molhado e embaçado pelo bafo úmido das dezenas de pessoas que também voltavam do trabalho. Lá fora o tempo parecia mais lento. Era como se tudo que se passasse na rua, não importasse. Era tudo encenação. Importava encostar naquele vidro e descansar o corpo.

O cheiro de perfume da Avon inundava suas narinas. Uma senhora de cinqüenta e muitos anos, sentada ao seu lado, cheirava a baile da saudade. Não que fosse desagradável. Lembrava-o da sua avó e isso só aumentava o conforto de estar protegido da chuva dentro do ônibus.

Cochilou colado ao vidro.

Acordou poucos metros antes do ponto onde deveria descer para chegar em casa. Foi o tempo necessário para dar o sinal e atravessar a massa humana até a porta. No caminho, pisou no pé de um homem, derrubou uma bolsa e empurrou uma senhora de idade. Mas não podia perder o ponto. Ainda chovia.

Não correu na chuva. Encolheu-se dentro do casaco de nylon e andou decidido pela ladeira. Aos poucos a chuva apertava e rompia a barreira do tecido sintético, umedecendo sua camisa. O tênis já estava ensopado quando chegou em casa. Ficou descalço na porta, largou ali também as calças, o casaco e foi direto ao chuveiro.

terça-feira, 15 de março de 2011

Desenhos, de Natália Pelosi & A Pequeníssima Historieta do Homem-Bis, de Raul Machado e Natália Pelosi



*"Quem sou? Perguntei-me certa manhã, antes mesmo de acordar. Sou monstro? Sou planta devagar? Sou a indecisão a navegar? Porra nenhuma. Sou bis. Chocolate. Tesão. Produto. Prazer. Duas vezes. Bis. Bis gritava o público. Da minha cabeça oca" (Artério Arteiro, ao observar esta postagem)

sábado, 12 de março de 2011

2 anos de Coletivo Arterizar, A volta das Oficinas do CIC e Poemas de Raul Machado

Parabéns Coletivo Arterizar! Desde a primeira reunião no café do CIC em março de 2009 até hoje fizemos um bocado e ainda faremos muito mais! Em 2 anos na ativa:

-Produção de 3 jornais (1 material e 2 virtuais)
-Organização de Sarau de Lançamento (com exposições, apresentação musical, fotografias, etc)
-Produção de 1 zine
-3 exposições de poemas ilustrados, na UFSC
-Blog Arterizar com mais de uma atualização por semana, com produções próprias do coletivo
-Lançamento do livro "Alegre Vômito" do integrante Raul Machado, com apresentação musical de outro integrante, Caio Marques
-Participação em outros projetos (rádio livre, saraus, rede nacional de coletivos, etc)
-Projeto Arte-Postal no século XXI (em andamento)
-Projeto de peça teatral (em andamento)
-Além das reuniões, discussões, pirações informais e produções livres e conjuntas entre os integrantes!

Para este semestre que se inicia, além do blog, da peça teatral e do projeto de arte-postal, continuaremos a produção do nosso Zine Arterizar à todo vapor, e tudo mais que pipocar na nossa panela quente! Fiquem antenados!

Beijos de Artério Arteiro, vosso artesão de risos e choros!

--------------------------/-----------------------------------

[ A volta das Oficinas do CIC...será? ]

A presidência da Fundação Catarinense de Cultura prepara a reinauguração da Oficina de Artes para a segunda quinzena de março.

O espaço que fica dentro do Centro Integrado de Cultura (CIC), no Bairro Agronômica, em Florianópolis, teve os trabalhos interrompidos há dois anos, ocasião em que começaram as reformas nos 10 mil metros quadrados que compreendem o CIC. “Entregaremos à comunidade este instrumento cultural que tanto tem feito falta, mas ele retornará reestruturado e em alto estilo”, disse, satisfeito, o presidente da FCC, Joceli de Souza.

Será o primeiro módulo que a comunidade receberá totalmente revitalizado e adequado ao ensino contemporâneo das artes plásticas. O próximo módulo a ser entregue aos catarinenses é o espaço que abrigará o Museu de Artes de Santa Catarina (MASC), em data ainda a ser definida.

*Fonte: http://fcc.sc.gov.br

-----------------------------------/------------------------------------

[ Poemas, de Raul Machado ]


Poesia não é auto-ajuda, é só trave-são

Showman-tira de lições
Moral honesta
Sorrisos de tele-visões
Pica-paga-pau sem testa

Poesia surda
Ignorante da insone-agonia
Muda cubra-se de auto-filho-da.

A Placa, O Muro, A Grama e o seu Labirinto

Desobedeça
A placa
Na grama
Antes que cresça

Poema para Colorir e Rabiscar (é sério)

A imaginação
Pode ser como futuro
E se o colo rir
E se o rabo piscar
Voarei
Sem saudades
Da ansiedade
Em escuridão
De eclipse
No respirar

quarta-feira, 9 de março de 2011

Palavra & Imagem

[ Imagem, de Natália Pelosi ]

"Mas a cabeça eu gosto que avoe" (Wally Salomão)

--------------------------------/-----------------------------------

[ Palavra, de Raul Machado ]

Nós

Por que
Fora daqui
O incomum não faz sentido?

Por que
Quem sonhou ontem
É covarde hoje

Antes do Nada há o Tudo

E eu
Que quis fugir de ti
Diante de tanta
Caretice

Disse-me:
-Vem ser poesia?

Ontem

Se o assim
Assinasse não
Assassinaria a vírgula
Do pensamento

quarta-feira, 2 de março de 2011

Terrorismo Poético, de Hakim Bey

[ Divulgação de Artigo ]

Capítulo de "Caos, os Panfletos do Anarquismo Ontológico" (parte um de "Z. A. T.")

ESTRANHAS DANÇAS NOS SAGUÕES de Bancos 24 Horas. Shows pirotécnicos não autorizados. Arte terrestre, trabalhos- telúricos como bizarros artefatos alienígenas espalhados em Parques Nacionais. Arrombe casas mas, ao invés de roubar, deixe objetos Poético-Terroristas. Rapte alguém e faça-o feliz. Escolha alguém aleatoriamente e convença-o de que ele é herdeiro de uma enorme, fantástica e inútil fortuna: digamos 8000 quilômetros quadrados da Antártida, ou um velho elefante de circo, ou um orfanato em Bombaí, ou uma coleção de manuscritos alquímicos. Mais tarde, ele irá dar-se conta de que acreditou por alguns poucos momentos em algo extraordinário, & talvez, como resultado, seja levado a buscar uma forma mais intensa de viver.

Pregue placas comemorativas de latão em locais (públicos ou privados) onde experimentaste uma revelação ou tiveste uma experiência sexual particularmente especial, etc.

Ande nu por aí.

Organize uma greve em sua escola ou local de trabalho, com a justificativa de que não estão sendo satisfeitas suas necessidades de indolência & beleza espiritual.

A Arte do grafitti emprestou alguma graça à metrôs horrendos & rígidos monumentos públicos. A arte Poético-Terrorista também pode ser criada para locais públicos: poemas rabiscados em banheiros de tribunais, pequenos fetiches abandonados em parques e restaurantes, arte xerocada distribuída sob limpadores de pára-brisa de carros estacionados, Slogans em Letras Grandes grudados em muros de playgrounds, cartas anônimas enviadas a destinatários aleatórios ou escolhidos (fraude postal), transmissões piratas de rádio, cimento fresco...

A reação da audiência ou o choque estético produzidopelo Terrorismo Poético deve ser pelo menos tão forte quanto a emoção do terror: nojo poderoso, excitação sexual, admiração supersticiosa, inspiração intuitiva repentina, angústia dadaísta - não importa se o Terrorismo Poético é direcionado a uma ou a várias pessoas, não importa se é "assinado" ou anônimo; se ele não muda a vida de alguém (além da do artista), ele falhou.

O Terrorismo Poético é um ato em um Teatro de Crueldade que não tem palco, nem assentos, ingressos ou paredes. Para funcionar, o TP deve ser categoricamente divorciado de todas as estruturas convencionais de consumo de arte (galerias, publicações, mídia). Mesmo as táticas guerrilheiras Situacionistas de teatro de rua já estão muito bem conhecidas e esperadas, atualmente.

Uma requintada sedução levada adiante não apenas pela satisfação mútua, mas também como um ato consciente por uma vida deliberademente mais bela: este pode ser o Terrorismo Poético definitivo. O Terrorista Poético comporta-se como um aproveitador barato cuja meta não é dinheiro, mas MUDANÇA.

Não faça TP para outros artistas, faça-o para pessoas que não perceberão (pelo menos por alguns momentos) que o que acabaste de fazer é arte. Evite categorias artísticas reconhecidas, evite a política, não fique por perto para discutir, não seja sentimental; seja impiedoso, corra riscos, vandalize apenas o que precisa ser desfigurado, faça algo que as crianças lembrarão pelo resto da vida - mas só seja espontâneo quando a Musa do TP tenha te possuído.

Fantasia-te. Deixa um nome falso. Seja lendário. O melhor TP é contra a lei, mas não seja pego. Arte como crime; crime como arte